Desempenho posto à prova

Desempenho posto à prova

A norma

O desempenho  acústico de edificações é um tema recorrente desde a publicação da norma federal NBR 15.575, em 2013. A norma foi um marco no estabelecimento e classificação de níveis de desempenho de diversos parâmetros, inclusive acústicos, relacionados às edificações. Esse novo marco levou a uma adaptação do modo de construir e tem contribuído para uma maior conscientização acerca do ruído, tanto para construtores, quanto para residentes dos imóveis.

O momento atual, porém, trouxe um outro olhar e percepção para a questão do desempenho acústico. Será que os critérios normativos definidos são suficientes para prover conforto no ambiente doméstico?

O teste

Em tempos de isolamento social, uma situação completamente atípica e que não foi, obviamente, levada em consideração quando os níveis de desempenho foram estabelecidos, os critérios selecionados são levados ao limite e colocados à prova.

Com o incentivo à permanência nos domicílios, milhares de brasileiros passaram a se incomodar com o ruído da vizinhança. O que já era um problema comum antes, agora torna-se em pesadelo. Com todo mundo em casa, o ruído parece aumentar e ficar cada dia mais perceptível. Em uma pesquisa que estamos realizando sobre a percepção do ruído durante a pandemia, abordamos a percepção do ruído da vizinhança. Um resumo é apresentado abaixo:

Das mais de 230 respostas, 41,7% notaram aumento, tanto moderado, quanto um grande aumento, nos ruídos produzidos pela vizinhança. Esse número é significativo e pode revelar o quanto nossas residências não estão preparadas acusticamente para prover conforto e bem-estar, inclusive em edificações mais novas e que procuraram atendimento às normas de desempenho.

Esse contexto pode provocar reflexão, primeiro a nível individual: em prol do meu bem-estar, coloco o conforto de outros em risco? Por exemplo, quando minha música alta é mais importante que o descanso do meu vizinho. Mudanças individuais podem evitar bastante stress e dores de cabeça em reuniões de condomínio. Além disso, as reflexões podem ser a nível institucional, por parte de quem constrói: os apartamentos que entrego estão aptos a fornecer conforto e qualidade de vida aos seus moradores? Entregar qualidade acústica, que deve ser pensada desde a fase de projeto, agrega valor ao imóvel e evita processos e custos com reformas.

Mudança de paradigma

Talvez o momento de agora seja prenúncio de uma nova forma de trabalhar. Cada vez mais pessoas se tornam adeptas do home office, tendência que deve continuar mesmo após o término da quarentena, como alternativa para redução de custos e maior comodidade dos colaboradores. Essa nova forma de trabalhar certamente trará um foco maior em Acústica, que hoje ainda é vista como um “luxo” ou algo secundário por muitas pessoas, e diluir as fronteiras entre casa e trabalho/escritório para muitos.

Os critérios de desempenho acústico podem ser um bom começo, mas não devem ser o parâmetro final para avaliar a qualidade. O desempenho posto à prova revela que, para além dos números, o bem estar dos moradores deve ser a prioridade de uma engenharia mais humana.

 

 

 492 total views,  2 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *